Planejando uma sessão de treinamento

Você já se perguntou como seu Personal Trainer ou o professor da academia que freqüenta montam sua sessão de treinamento na musculação? Como eles escolhem os exercícios, séries, repetições, os intervalos de descanso entre cada série... A princípio pode parecer uma rotina escolhida ao acaso, às vezes dependendo de quais aparelhos estão livres na academia ou, se você não tiver um Personal Trainer,  somente mais uma mudança de exercícios a cada ficha que se renova. Se este é o seu pensamento, é hora de mudá-lo, pois atrás de um novo planejamento existe uma ciência precisa, que requer também muito conhecimento prático de quem é responsável por prescrevê-lo.

Para começar, a elaboração de uma sessão de treino obedece algumas variáveis e, a partir delas, segue diferentes parâmetros que podem ter uma variedade enorme de protocolos de treinamento, dependendo do objetivo e grau de aptidão do aluno.

As principais variáveis observadas pelo profissional são primeiramente a escolha dos exercícios, condizentes com o grau de treinabilidade do aluno, a ordem e o volume destes, também relacionadas ao objetivo e ao condicionamento individual, para que o estímulo não cause diminuição do desempenho de quem o realiza. Estas duas últimas variáveis são seriamente observadas porque a ordem de um exercício feito no início ou no final de uma sessão faz uma diferença significativa, bem como a quantidade de exercícios, séries e repetições (volume de treino), diretamente relacionadas com a melhora da performance, mudança na composição corporal e nos parâmetros de saúde.

A seguir, outras variáveis são aplicadas às outras já definidas pelo professor, como a intensidade, que é inversamente proporcional ao volume: uma intensidade maior necessita de um volume menor de treino. Definida a intensidade, seguem-se os intervalos entre séries e exercícios, uma das variáveis mais negligenciadas durante um planejamento. O tempo de intervalo entre uma série e outra, entre um exercício e o seguinte, podem fazer toda a diferença no resultado final de uma programação e deve ser sempre respeitado.

Por último, mas não menos importante, a frequência das sessões de exercícios, que dependem da divisão da rotina proposta pelo Profissional de Ed. Física, de acordo com a disponibilidade e atual condicionamento do aluno. Este planejamento final, por sua vez, tem que estar perfeitamente ajustado para que haja uma perfeita recuperação entre os treinos.

Portanto, ao chegar na academia para treinar, sendo com um Personal Trainer ou seguindo sua ficha de treinamento da academia,  seria importante lembrar de tudo isso e reconhecer que o trabalho do profissional demandou, na maioria das vezes, de muito estudo, muito trabalho e muita experiência.

  Romney Dantas