FASES MENSTRUAIS E TREINAMENTO DE FORÇA

Um estudo recém-publicado (06/2016) investigou como diferentes frequências de treinamento durante as fases menstruais afetam hipertrofia e força muscular. O treinamento consistiu de 3 séries de 8-15 reps de rosca para braços até a falha muscular durante 12 semanas e, em cada fase do ciclo menstrual (fase lútea e folicular), cada sujeito treinava cada braço separadamente por 3 dias na semana (seg, qua e sex) ou 1 dia na semana (quarta). Houve também controle energético a partir da ingestão de nutrientes (carboidrato, proteína e gordura) e este não diferiu entre todas as as fases do estudo, desde a linha de base e após as 12 semanas. Apesar dos resultados apontarem aumento na área de seção transversa do músculo do braço de 4,4% na fase folicular (entre o 3º e 5º dia) e 4,2% na fase lútea (entre o 17º e 21º dia) e que houve aumento de 11,9% e 14,1% na força entre as fases folicular e lútea, respectivamente, esses valores não foram considerados significativos e positivamente correlacionados, sugerindo que as variações nos hormônios femininos induzidas pelas fases do ciclo menstrual não contribuem de forma significativa para a hipertrofia. Mesmo que os efeitos do ciclo menstrual sobre a força muscular não estejam claros e que seja determinado que carga relativa deve ser alterada durante as fases menstruais se a força máxima é afetada pelo ciclo, já que esta (a força) supostamente varia de acordo com o ciclo e a diferença de valores possa afetar o volume de treinamento (carga x repetições), este estudo não constatou efeitos diferentes de volumes de treinamento entre ambas as fases do ciclo menstrual. Saliente-se que o estudo não mensurou as concentrações de estradiol e progesterona, o que caracteriza uma limitação metodológica importante. Obviamente isso não significa que a diferença encontrada, mesmo que considerada irrelevante pelos autores do estudo, seja efetiva para que não se deva treinar intensamente ou mesmo que não se obtenha ótimos resultados na fase do ciclo onde os resultados tiveram menor magnitude e que outros fatores, como o psicológico e a disposição para o treino, também sejam levados em consideração no momento da montagem do programa.   Referência 1-Sakamaki-Sunaga, M, Min, S, Kamemoto, K, and Okamoto, T. Effects of menstrual phase- dependent resistance training frequency on muscular hypertrophy and strength. J Strength Cond Res 30 (6): 1727-1734, 2016.